O Estranho e a Pedra

Lá está, sentado em uma pedra solitária.

Mais uma vez estão sozinhos, ele e a pedra.

Rocha maciça. Seus entendimentos duros como ela.

Não dorme bem. Não raciocina com clareza.

O cansaço pesa sobre a cabeça e os ombros.

É invadido por pensamentos cruéis.

É julgado por seu próprio imaginário inconformado.

Culpado por não ter feito nada – ou por tê-lo feito.

E ali, sozinho, junto à pedra, por um breve momento, ele se sente mais tranquilo.

E por isso sempre anseia tanto aquele momento com a pedra.

Pensa: “Ao menos ela não me julga”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s