Conversa com Deus

– Então você é Deus? – perguntei, com uma careta.
– Sim. Não gosta do que vê?
– Não, não é isso. Só achei que você era… diferente.
– Assim?
– É, exatamente assim que eu te imaginava! Afinal, qual sua forma verdadeira?
– Não tenho forma. Coloco-me em diferentes aspectos conforme a expectativa de quem deseja falar comigo.
– Então por que não estava de roupa branca e barba quando cheguei aqui? Essa era a minha expectativa.
– Exatamente para que você me perguntasse qual era a minha forma verdadeira.
– Entendo. Onisciência. Mas me diga: estou morto? O que é este lugar?
– Na verdade, não. Você vai acordar dentro de alguns minutos para ir trabalhar. É apenas um sonho.
– Então não estou falando com Deus. É só a minha mente!
– E por que não estaria falando com deus? Não posso estar em seus sonhos? Onipresença, lembra?
– É, faz sentido. Bom… não sei nem por onde começar. São tantas perguntas!
– Talvez eu possa te responder algumas. O tempo é curto.
– Ok! Vejamos… por que você deixou Adão e Eva serem enganados pelo diabo se você já sabia o que iria acontecer?
– Essa é fácil. Livre arbítrio. Isso se tivesse existido um Adão e uma Eva.
– Opa, opa! Como assim “se tivesse existido”? Você não criou o homem e todas as outras coisas?
– Não. Nada criei. Os seres humanos e o mundo se formaram como dita a ciência.
– Ora, mas não entendo! E a Bíblia? E os sete dias? E o criacionismo? As pessoas acreditam nisso há milhares de anos!
– Nem todas. Você, por exemplo, não acredita. Perguntou-me sobre Adão e Eva apenas por supor que eu sou o seu deus cristão.
– Mas… calma! Estou extremamente confuso. Se você não é Deus, o pai de Jesus, o Espírito Santo, o…
– Eu posso sê-lo se você quiser.
– Não quero que você seja o que eu quiser! Quero que me diga quem você é!
– Eu sou o que você quiser eu que eu seja. Seria Alá, se o desejasse. Seria Jah, Ganesha, Amon, Zeus…
– Tá, tá! Entendi! Então você é meu pensamento. Minha vontade. Eu sabia que não estava falando com Deus! Estou apenas conversando comigo mesmo!
– E isso não é falar com deus?
– Se eu fosse deus, sim. Mas não sou. Sou apenas um mortal, um qualquer.
– Engana-se. O deus que você procura está dentro de você.
– Isso está virando insanidade. Eu estou dizendo para mim mesmo que o deus que eu procuro está dentro de mim. Isso é esquizofrenia, não?
– Não. Vou esclarecer: eu sou a sua concepção do que é deus. E, na sua concepção, deus é aquilo que está dentro de você mesmo.
– O que prova que estou ficando louco, pois estou falando comigo mesmo. Ou com alguém criado pela minha mente.
– Não é loucura. É auto-conhecimento.
– É loucura, sim! Quer dizer que toda essa conversa está sendo idealizada por mim. Quer dizer que eu já sei o que você vai dizer e como vai terminar tudo isso.
– Sim, você sabe, mas escolheu ignorar essa “previsão”. Afinal, que graça teria já saber as próximas linhas?
– Nenhuma, é verdade. Mas isso é louco demais pra mim… De qualquer forma, se estou falando comigo mesmo, o que posso descobrir de novo? É perda de tempo falar com você.
– Ora, você já descobriu muitas coisas desde que começamos. Acha que sua mente é assim, aberta? Que não há nada obscuro para você mesmo?
– Então, digamos que eu sou a parte ignorante de mim mesmo e você é a minha parte lúcida.
– É, mais ou menos isso.
– Tá, mas se Deus não existe, exceto dentro de nós mesmos, e o resto da humanidade? E as guerras, as mortes, as multidões que seguem esses deuses?
– Uma hora eles vão descobrir a verdade.
– Que verdade? Que nós somos os deuses?
– Isso é você quem está dizendo.
– Puta merda! Como assim?!
– Você sabe que Deus não gosta de palavrões, não?
– Meu deus não liga. Ele tem coisas mais importantes para se preocupar.
– É isso aí. Está pegando o espírito da coisa.
– Ok, mas voltando. Quer dizer que a crença de que eu sou deus e de que não existe um cara lá em cima é só minha? Posso estar errado?
– Não, não é só sua. Muita gente pensa assim. Mas sim, você pode estar errado. Alá pode existir e você pode ir pro inferno por não ter seguido seus dogmas.
– Mas e aí? Eu me obrigo a acreditar em algum deus por medo de estar errado?
– Não. Ninguém deve acreditar em algo só pelo temor de não fazê-lo. Isso é hipocrisia.
– E tem muita gente que faz isso por aí…
– Exatamente. E, se por acaso o deus dessas pessoas existir, elas vão pro inferno do mesmo jeito.
– Verdade. Mas continuo temendo. Não quero ir pro inferno.
– Você não acredita em inferno.
– O fato de eu não acreditar não quer dizer que ele não exista, certo?
– O fato de ele existir não quer dizer que você vá para lá.
– Você sempre tem uma resposta na ponta da língua, não?
– Na verdade, é você que tem.
– Espertinho. Digo… bom, isso foi um auto-elogio, então.
– Acho que você está preparado.
– Preparado? Para quê?
– Para acordar. Não quer chegar atrasado, quer?
– Calma, calma! Tenho mais perguntas! Quando poderei encontrá-lo novamente?
– Me encontrar? Não seja tolo! Nunca estive em outro lugar.
– Tem razão. Foi bom falar com… você.
– Igualmente. Mas tome nota: a próxima vez que me ver, posso estar completamente diferente. Não vá se assustar.
– Por que o faria? Estarei igual.
– É, estará… – sorri(o).

Anúncios

2 comentários sobre “Conversa com Deus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s