Na estrada

Eu conheci cores, sabores, temperaturas, pensamentos, vontades. Passei por ruas, cidades, campos, estradas, montanhas e trilhas. Peguei carona com velhos, com jovens, com problemáticos, normais. Trilhei meu caminho com pessoas, me desvencilhei dos vícios, errei de caminho inúmeras vezes, fiquei sozinho.

Curti o momento, o silêncio, pequei escondido, ninguém soube. Transpus os limites, menti para os outros, enganei minha consciência, inúmeras vezes; errei.

Senti fome, frio, foi saudade, felicidade e maldade, senti dor. Percebi o que era antes de ser, senti que o querer é, antes de tudo, mais importante. O caminho valeu as derrotas, os fracassos; valeu o perdão e o abraço. O caminho mostrou o além, o mais além, o interior exteriorizado, mostrou o que posso e o que não posso. Ser forte, fraco, ser nobre, baixo, ser eu, ser você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s